Logo



Menu

Posts Recentes



21 de março de 2019

Por que os orientais possuem olhos puxados?

                 
Kim Taehyung, cantor sul-coreano eleito o homem mais bonito de 2017

Alguma vez essa pergunta já passou pela sua cabeça? A verdade é que o Brasil é um país de todos os povos, e há uma grande incidência de orientais e descendentes que adotaram este país como seu lar. Ao longo dos anos, nosso contato com a cultura e com as pessoas “do outro lado do mundo” foi ficando maior, e questionar-se sobre o motivo de termos olhos tão diferentes acabou sendo inevitável. O que será que aconteceu para que a espécie humana de uma determinada região tenha adquirido uma característica tão indicadora de sua ascendência?

Acontece que o que hoje vemos como um mero detalhe - os olhos mais puxados - um dia já teve total diferença para aqueles povos.

    Primeiro vamos perceber que não são todos os orientais que possuem essa característica, certo? Definimos como Oriente a porção a leste do nosso globo, uma divisão criada durante a crise do Império Romano que vai acabar também englobando países como Afeganistão, Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos… e por aí vai, que são países conhecidos por estarem na famosa porção do “Oriente Médio”. Aqueles que possuem, essencialmente, olhos puxados são pertencentes a países asiáticos do Extremo Oriente: China, Japão, Coreia do Sul e do Norte, Taiwan, Tailândia e Mongólia. 

A população desses países possui uma ascendência em comum, e é aí que essa história toda começa! 

Mas, antes de tudo, você consegue dizer o que faz esses olhos parecerem mais “puxados” e menores? É bom já deixar claro: não, esses povos não possuem um globo ocular menor, todos nós Homo sapiens sapiens possuímos o mesmo tamanho de olho! E nãaaao, eles não têm uma visão menor, mais limitada e nem são mais sensíveis ao sol do que os caucasianos, por exemplo! 

A característica que faz com que o olho tenha esse aspecto é o fato de que os leste-asiáticos não possuem a dobra na pálpebra superior, o que faz com que ela cubra uma área maior do olho. Além disso, a fenda palpebral (espaço entre a pálpebra inferior e superior) deles é menor! Tão simples, não é? Mas a grande questão é: como isso surgiu? E por que se conserva até hoje?

Imagem demonstrando os olhos de um asiático (de origem desconhecida) e um ocidental (de origem
desconhecida). Fonte: web.
   Bom, essa característica surgiu e se fixou por uma bela seleção natural. Veja bem: acredita-se que aqueles que deram origem aos japoneses, coreanos, chineses… tenham vindo da região da Mongólia, que é extremamente fria! 

Criança mongol, caminhando na neve. Fonte: web.
   Com um clima tão severo de muito frio e neve, que refletia a luz do sol e prejudicava muito a visão, essa característica obteve muito sucesso. Não porque as pessoas viviam de olhos cerrados e acabaram ficando assim! Mas sim porque aqueles que foram nascendo com os olhos menores iam tendo mais sucesso no ambiente, e tinham mais chances, inclusive, de se reproduzir, o que fazia com que eles passassem essa característica para as gerações futuras. Muitas gerações depois acabamos tendo um povo de olhos puxados completamente adaptado ao seu ambiente! 

Criança mongol. Fonte: web.
A característica genética se manteve muito uniforme nessa região da Ásia simplesmente porque não houve muita miscigenação com outros povos! Com a falta de “mistura” essa característica se manteve e está presente em praticamente toda a população. Além disso, é legal lembrar que, mesmo que hoje um asiático tenha filho com um ocidental, essa característica genética “é tão forte” que é bem provável que essa criança terá olhos puxados também.

                                Ariana Miyamoto foi miss Japão 2015, filha de mãe japonesa e pai afroamericano. Fonte: web.
Naomi Osaka é uma tenista profissional filha de pai haitiano e mãe japonesa. Em 2018, Osaka chegou à posição nº 17 no ranking mundial. Fonte: web.

  É interessante saber que outros povos também possuem a característica dos olhos puxados, que podem ter surgido por outras razões, mas também em função do ambiente em que viviam! Exemplo destes são os Khoisan, dois grupos étnicos do Sudeste da África. 

Crianças Khoisan, um dos povos mais antigos da humanidade. Fonte: web.

   A explicação para tudo isso é bastante simples e muito fascinante, não é? Perceber que somos tão iguais e só pequenos detalhes nos diferenciam é muito bonito! 

   No entanto, muitos asiáticos têm recorrido a cirurgias para tentar mudar essa característica. A obsessão por procedimentos estéticos que tornam os olhos “maiores” é notória (aliás, você já percebeu o tamanho dos olhos representados nos mangás japoneses?), e disso se destaca a grande demanda do procedimento cirúrgico que tira gordura e adiciona uma dobra nas pálpebras. Assim, os olhos ficam menos oblíquos e se tornam mais abertos e redondos.

Imagem mostrando o "antes" (na primeira imagem) e "depois" (na segunda imagem) de uma cirurgia estética no olho. Fonte: web.
   O que pode parecer só estético pode ser reflexo de uma grande pressão sofrida, principalmente, pelos jovens asiáticos acerca dos estereótipos e preconceitos exercidos pelo Ocidente. Frases como “eles são todos iguais” perpetuam essa visão xenófoba, totalmente desconhecedora e cega para outras culturas. Será que esse tipo de pensamento não provém de uma sociedade que simplesmente não é acostumada a ter contato com esses povos? Será que esse pré-conceito não surge porque nossa cultura é basicamente moldada pelo que a América nos oferece? 

   Depois de tudo isso, a mensagem mais importante deste texto não é nem mesmo o conhecimento científico e a curiosidade de saber de onde vem essa diferença, e sim a percepção de que precisamos nos abrir para novas culturas, olhar de formas diferentes e acima de tudo respeitar, porque somos irmãos. 


Um comentário: