Logo



Menu

Posts Recentes



5 de outubro de 2018

Mosassauros: Répteis Marinhos do Cretáceo

Por Jessica Imperico Maciel, Marina Veiga da Silva Amorim e Mariana de Souza Lima 



Durante o cretáceo (entre 145 milhões e 66 milhões de anos atrás), quando a América do Sul e a África recém haviam se separado, grandes répteis marinhos conviveram nos mares, como os ictiossauros, os plesiossauros e os mosassauros. Entretanto, estes não são classificados como dinossauros, apesar de serem seus contemporâneos.

Os mosassauros foram os primeiros répteis extintos descobertos pela ciência, e devido a isto foram importantes para o desenvolvimento da ciência do séc. XVIII e XIX. Seus primeiros fósseis foram encontrados em 1764 na região de Maastricht, na Holanda, em um rio chamado Meuse, que em latim é dito Mosa, dando origem assim ao nome do grupo. O termo Mosassauro é utilizado para designar, além de um gênero, Mosasaurus, também um grupo de répteis que utilizavam os mares como seu principal local de alimentação. Esses animais viveram exclusivamente no Cretáceo Superior, entre 100 e 66 milhões de anos atrás, sendo os principais predadores do final deste período.

Esses répteis possuíam um corpo fusiforme, dotado de dois pares de nadadeiras laterais e perfeitamente adaptado à vida em mares pouco profundos, o que os tornava predadores ativos das zonas pelágicas (toda a região do oceano que não é o fundo do mar), conforme mostra a figura 1. Geralmente carnívoros, sua alimentação e dentição eram muito variadas conforme a espécie, incluindo desde peixes até outros pequenos mosassauros. Possuíam exemplares que podiam variar de 1 a 17 metros de comprimento e chegavam a pesar até 20 toneladas. Foram identificados até a atualidade mais de 1.000 exemplares, classificados em até 10 gêneros, mostrando claramente sua expansão em termos de diversidade, quando foram extintos.

Figura 1. Representação de Mosassauros. Sgarbi G.N.C., Bittencourt J., Marinho T.S. 2016. Répteis que um dia dominaram os mares. Terræ Didática, 12(1):69-77.

Já no Brasil e na América do Sul, o primeiro registro ocorreu em 1953 por Llewellyn Ivor Price no estado de Pernambuco. No Brasil, foram encontrados registros de quatro gêneros de mosassauros: Mosasaurus, Globidens, Platecarpus e Prognathodon, encontrados na formação Calumbi na Bacia Sergipe-Alagoas e nas formações Itamaracá e Gramame na Bacia do Paraíba.

O final do Cretáceo foi marcado pelo desaparecimento de diversos grupos de plantas e animais, entre eles os mosassauros. Existiram diversas causas que resultaram nesta extinção, tais como intensas erupções vulcânicas, fragmentação de habitats e a queda de um grande asteroide. 
As relações filogenéticas dos mosassauros no reino animal são bem esclarecidas:grande parte dos pesquisadores consentem que os mosassauros surgiram da evolução de um grupo de répteis terrestres, os mesmos a que lagartos e cobras atuais pertencem.
Apesar dos mosassauros serem bem estudados, o conhecimento acerca desses animais fica restrito aos fósseis preservados que foram descobertos até hoje. Assim, quanto mais descobertas são feitas, um pouco mais podemos aprender sobre esses curiosos répteis marinhos que já habitaram a Terra!

Nenhum comentário:

Postar um comentário