Logo



Menu

Posts Recentes



6 de outubro de 2017

Despertando com o documentário Cowspiracy: O Segredo da Sustentabilidade


Capa do documentário Cowspiracy: O Segredo da Sustentabilidade | Disponível em: https://app.box.com/v/cowspiracy/file/20102353329. Acesso em: 02/10/2017.


O Planeta Terra possui 510,3 milhões km2 de área total, sendo que quase 30% são áreas de terras emersas e o restante áreas dos mares e oceanos. Em uma área com tamanha extensão, uma espécie notoriamente se distingue de todas as outras. Com 7,6 bilhões de indivíduos e uma capacidade tão grande de se moldar às circunstâncias quanto de destruir aquilo que os mantêm vivos, o ser humano utiliza-se dos recursos naturais que são de vital importância para a sua sobrevivência, mas acaba sobre-explorando-os por ganância. O mundo já vem sofrendo as graves consequências desta sobre-exploração, está cada vez mais frequente acordarmos com notícias de tempestades violentas, queimadas gigantescas, quebra dos recordes de secas já registrados, geleiras derretendo, nível dos oceanos subindo, chuvas ácidas dizimando florestas e lagos, ... . Mas como podemos realmente fazer a diferença frente aos problemas climáticos que o planeta vem sofrendo e que todos já estão sentido suas consequências? O que podemos fazer para ajudar? Se formos procurar por esta resposta em jornais, revistas, sites, blogs, ONG’s, entre tantos outros, a esmagadora maioria nos dirá: recicle o seu lixo, mude as lâmpadas da sua casa, utilize torneiras e chuveiros de baixo fluxo, tome banhos mais curtos, feche a torneira para escovar os dentes, utilize descargas eficientes, equipamentos econômicos, apague as luzes ao sair dos cômodos, conserte vazamentos em encanamentos, ande de bicicleta, prefira transportes coletivos ao invés de individuais, … e a lista não acaba. E se todo mundo adotasse essa mudança de hábitos, será que realmente resolveríamos o problema? Sinto muito em lhe informar que a resposta é não!
A partir de agora serão apresentados fatos e depoimentos de especialistas que revelarão “O Segredo da Sustentabilidade”, slogan do documentário norte-americano Cowspiracy, de 2014, escrito e dirigido por Kip Andersen e Keegan Kuhn.
Segundo a entrevista dada no documentário pelo Dr. Richard Oppenlander, pesquisador ambiental, se ninguém mais usar qualquer gás ou combustível a partir de agora, ainda assim excederíamos as emissões máximas de gases do efeito estufa, simplesmente por causa da pecuária de consumo, conforme ele também revela em seu livro “Food Choice and Sustainability”.
A prática da agricultura animal produz mais gases de efeito estufa do que todas as emissões dos setores de transporte juntos, rodoviário, ferroviário, aéreo e marítimo. Comparando-se isso em porcentagem, são 51% das emissões de gases de efeito estufa produzido pela pecuária e seus subprodutos contra 13% das emissões dos setores de transporte. Como se isso já não fosse o bastante, o gás metano produzido pela pecuária é 86 vezes mais destrutivo que o CO2 produzido pela queima de combustíveis fósseis dos veículos. E o óxido nitroso, o qual a agricultura animal é responsável por 65% das emissões mundiais, tem potencial 296 vezes maior de causar o aquecimento global do que o CO2 por Kg.
As previsões são de que até o ano de 2040 as emissões de CO2 relacionadas a energia deverão aumentar 20%, enquanto que as previsões para o aumento das emissões da pecuária são de 85% até o ano de 2050, devido ao aumento no consumo de carne e laticínios. Então como o vilão número 1 do aquecimento global podem ser os setores de transporte e energia? Porque o silêncio das organizações ambientais e de todos sobre a agricultura animal se ela é a maior causa das mudanças climáticas, consumo de recursos e degradação ambiental? Para responder a isso sugiro fortemente que assista ao documentário Cowspiracy e veja as respostas destas grandes organizações do porquê contribuem para esconder esses impactos da sociedade. Mas o fato é que algumas pessoas realmente tentaram, e somente o Brasil é responsável por metade dos casos de assassinato a ambientalistas no mundo inteiro!
Segundo o Dr. Will Tuttle, autor do livro “The World Peace Diet”, hoje todos os seres humanos, juntamente com os animais de criação, representam 98% da massa vital da Terra, enquanto todos os animais silvestres e selvagens representam apenas 2%. A criação de animais para a alimentação é responsável por 30% da água consumida a nível mundial,enquanto o uso doméstico é de apenas 5%; ocupa cerca de 45% dos terrenos, é a responsável pela destruição de 91% da Amazônia brasileira, e é a principal causa da destruição de habitats e da extinção de espécies. Estima-se que 1 campo de futebol seja desmatado nas florestas tropicais a cada segundo para a agricultura animal, onde todos os dias cerca de 137 espécies de plantas e animais desaparecem.
Um hambúrguer de 113 g consome 2.498 L de água para ser produzido, ou seja, comer um hambúrguer seria equivalente a tomar um banho por 2 meses inteiros! Já no caso das vacas leiteiras, para a produção de 1 L de leite são necessários 1.000 L de água. Enquanto a população humana mundial consome 19,68 bilhões de litros de água e 9,51 bilhões de quilos de alimentos por dia, somente a população de vacas do mundo consome 8,6 vezes mais água e 6,4 vezes mais alimentos que o ser humano por dia! E esse não pode ser considerado um problema causado pela população mundial, é um problema causado pela população que consome carne e seus subprodutos, mas que afeta a todos!
Segundo a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), mais de 70% dos peixes do mundo sofrem atualmente com a pesca predatória, o que tem reduzido drasticamente suas populações. Na forma que a pesca é feita hoje, basicamente por redes de pesca, algumas estimativas sugerem que para cada 1 Kg de peixe pescado há cerca de 5 Kg de outros animais pescados “acidentalmente”, como tartarugas, golfinhos, baleias e tubarões. Este último inclusive encontra-se bastante ameaçado por conta do consumo da carne de “cação” (lê-se tubarão) no Brasil.
O Dr. Will Tuttle, diz que no mundo estima-se que 1 bilhão de pessoas passem fome todos os dias, pois 52% dos grãos e legumes plantados são destinados à alimentação da pecuária. Indiretamente, é a população que consome carne novamente a responsável pela fome de 1/7 do planeta, juntamente com a desigualdade social e o desperdício, visto que o mundo já cultiva comida suficiente para alimentar 10 bilhões de pessoas, mas o destino deste alimento é para onde ele for capaz de gerar mais lucros, e neste caso aqueles que podem pagar priorizam a pecuária e não a população faminta! Entretanto, as pessoas não querem ter que ouvir isso, porque faz com que elas sintam-se desconfortáveis, como se tivessem que sair da sua zona de conforto e agir! Faz com que elas tomem a consciência de que algo precisa ser feito, de que uma mudança de hábitos é necessária, e muitos não querem ter que fazer isso. A questão é tão simples e ao mesmo tempo tão complexa, porque tudo só depende das pessoas quererem mudar.

Se frear o aquecimento global não for justificativa suficiente, que seja pelo desmatamento, uso da terra, escassez de água, fome, desequilíbrio das comunidades, perda de habitats, extinção de espécies, pelo futuro do planeta e das próximas gerações. Além de todas essas razões, as pessoas se abstraem do fato de que comer carne é tirar a vida dos animais. A maioria delas não seriam capazes de tirar a vida de um animal com as próprias mãos, mas tudo bem pagar para que outras pessoas tirem essas vidas por elas.

A conclusão é simples, alimentar uma pessoa em uma dieta vegana, a base de plantas, por um ano inteiro requer 1/6 de um hectare de terra, enquanto alimentar a mesma pessoa em uma dieta vegetariana, que inclui ovos e leite, requer 3 vezes mais terra. Alimentar um cidadão americano padrão, por exemplo, que consome carne, ovos e leite requer em comparação 18 vezes mais terra! Agora imagine este cenário em um mundo em que nascem 211 mil pessoas todos os dias! Um indivíduo com uma dieta vegana economiza 4.163,5 L de água, 20,03 Kg de grãos, 2 m2 de terreno florestal, 4,5 Kg de CO2 e 1 vida animal por dia!
Segundo o depoimento do Dr. Oppenlander no documentário Cowspiracy, quando as pessoas aderem às campanhas como ‘segunda-feira sem carne’, elas estão essencialmente contribuindo para a destruição do planeta apenas 6 dias por semana ao invés de 7. Elas criam uma falsa justificativa pelo o que estão fazendo nos outros dias da semana. Já o ex-pecuarista e autor de “Mad Cowboy”, Howard Lyman, é ainda mais incisivo em seu depoimento ao dizer que uma pessoa não pode ser ambientalista e ao mesmo tempo consumir produtos de origem animal! Segundo ele qualquer um pode se enganar o quanto quiser, e continuar alimentando o seu vício, mas não pode se considerar um ambientalista!
Estamos assistindo o mundo colapsar com o passar de cada ano, o planeta não irá suportar o atual crescimento e a manutenção de velhos hábitos da nossa população, todos colherão o que estamos plantando hoje. O segredo da sustentabilidade foi revelado e a mudança não virá enquanto cada um ficar esperando pela mudança do outro ou por um outro momento. “Seja a mudança que você quer ver no mundo” (Mahatma Gandhi).



Infográfico adaptado mostrando a diferença entre expectativa de vida e idade de abate dos animais na indústria | Disponível em: http://www.skoolofvegan.com/cartoons.html. Acesso em: 02/10/2017.

Referências:
COWSPIRACY: The Sustainbility Secret. Direção e Produção de Kip Andersen e Keegan Kuhn. Estados Unidos: A. U. M. Films First Spark Media, 2014. (91 min.).
Planetário da UFSC. Dados sobre o planeta Terra. Disponível em: <http://planetario.ufsc.br/dados-sobre-o-planeta/>. Acesso em: 02 out. 2017.

Nenhum comentário:

Postar um comentário